Experiência phygital: um caminho sem volta

Afinal, com o isolamento social o que mais poderia ser feito?

Por
Larissa Martina Fiorentin
Por
Larissa Martina Fiorentin
e
Valter Pieracciani, MSc
Publicado em

Nosso modo de consumir serviços e alguns produtos já estava se tornando cada vez mais digital, mas com a pandemia vimos esse processo – até evolutivo – ser acelerado de forma agressiva, afinal com o isolamento social o que mais poderia ser feito? Home Office, entretenimento e compras online, ensino remoto... Um caminho sem volta. Mas, como sabemos, o mercado se adapta às mudanças com agilidade e as empresas conseguem atender aos clientes de maneira inovadora.

Neste sentido, surgiu a demanda por um novo modelo de experiência para os consumidores: a experiência phygital.

Unindo as palavras physical e digital, phygital é o termo utilizado para descrever o encontro entre os ambientes físico e on-line. Uma demanda advinda principalmente do sistema de ensino que, da noite para o dia, teve de se reinventar bruscamente.

Foi – e ainda é – necessário reestruturar a maneira como conteúdos são ensinados e transferidos a clientes e alunos, mas como construir uma experiência phygital realmente completa e efetiva?

Construindo uma experiência phygital

Na Piera, sempre tratamos com muita seriedade nossa atuação com Andragogia, a ciência de orientar e ensinar adultos. Por exemplo, com o sistema I Belt, nossa área de Educação oferece a certificação para Gestores da Inovação e a partir desta capacitação os profissionais formados apresentam a proficiência do conhecimento necessário para coordenar Times de Inovação de forma contínua e eficiente.

Com o desafio de dar conta das mudanças que surgiram radicalmente com a pandemia, consideramos que tais transformações envolviam todos os aspectos da vida das pessoas e não somente uma parte dela, assim reinventamos toda nossa capacitação para um modelo phygital. Mas o que mudou? 

O I Belt continuou concedendo “faixas” brancas, amarelas, verdes, pretas e master pretas, para profissionais que se tornam gestores da inovação, a depender do estágio de proficiência. A experiência tornou-se virtual, mas para além dos encontros online, foram proporcionadas entregas físicas e atividades reais, realizadas tanto individualmente, quanto em grupos à distância.

Esse processo de transformação demorou aproximadamente de 3 meses, um período de muito estudo, pesquisas e testes para estrear o novo modelo sem comprometer os 11 anos de sucesso que já tínhamos com turmas presenciais, mais do que isso: vivenciais e imersivas.

Facilitar a aprendizagem e promover o conhecimento sem o contato físico, disputando espaço com o entretenimento e com redes sociais, foram grandes desafios encarados pelo nosso Time de Educação. Mas, à luz do modelo VARK* de aprendizado e com todo o esmero para garantir a transferência de conhecimento, reinventamos o I Belt.

* VARK é um acrônimo das palavras em inglês: visual; aural (auditivo); read (leitura e escrita); kinesthetic (cinestésico). Trata-se de estilos de aprendizagem.

Além disto, a curadoria de conteúdo, realizada por nossa rede de Educadores, seguiu assegurando o máximo aproveitamento pelos profissionais em formação. Enquanto isso, arquitetávamos uma experiência física para compor os encontros virtuais, conectando a gestão dos negócios com a arte e a inovação.

Sem dar muito spoiler para os futuros Gestores da Inovação I Belt, a experiência proporcionada é realmente inusitada para o mercado de Educação. Nosso sentimento é de entusiasmo, ao ver que conseguimos oferecer aos nossos alunos o estímulo para a conquista do aprendizado.

Ok, vamos dar umas “pinceladas” sobre essa experiência artística que proporcionamos:

O profissional inscrito recebe em casa uma caixa com alguns kits para uso nos 13 encontros do I Belt, dentre eles o kit “Criação”. A fim de orientar os alunos sobre a experiência com a arte, disponibilizamos em nossa plataforma uma série de vídeos gravados com um artista plástico que, além de ensinar sobre o processo criativo artístico, ilustra a ligação direta entre a arte, os negócios e o I Belt. Ao longo de toda a jornada, os profissionais recebem orientações para vivenciarem o seu momento criativo/artístico de forma completa. Por fim, no encerramento da turma, temos uma bela: SURPRESA!

Pode vir, mundo novo, que nós da Piera, estamos prontos e te esperamos de braços abertos!

As fotos são de alguns momentos de conexão com a arte que nossos alunos formandos da 2ª turma I Belt digital registraram.


Imagem com telas de pintura criadas pelos alunos I Belt


Quer continuar essa conversa? Entre em contato conosco!

Um Time multidisciplinar preparado para pesquisar, conceber soluções e agir de forma inovadora.

Assine nossa Newsletter!

This section uses a container element to ensure the content looks right on every device. It’s centered with the class “Centered Container.”

Obrigado! Sua inscrição foi feita com sucesso.
Oops! Algo deu errado, por favor tente novamente.

O momento pede agilidade na vida e nos negócios

Programas Internos de Geração de Ideias

Design Thinking não é um workshop!

Como garantir o aprendizado na prática?

Vídeos

voltar ao blog

Conheça nossos livros

Veja Todos os Nossos Livros